Leprosaria de Cumura: história, etnografia e fotografia – intercepções

Luís Manuel Neves Costa
Na periferia de Bissau foi criada pela autoridade colonial (em 1951), uma leprosaria para isolamento dos doentes da colónia Guiné portuguesa. Cumura emergia como espaço de confinamento da lepra. A igreja católica assumia a responsabilidade na assistência, evitando assim a expansão dos protestantes evangélicos na colónia. Não havendo missionários portugueses com formação específica, o Prefeito Apostólico solicitou à Província de Santo António de Veneza o envio de missionários franciscanos, entretanto expulsos do Tibete por Mao...
This data center is not currently reporting usage information. For information on how your repository can submit usage information, please see our Documentation.