Ossiculoplastia autóloga na cirurgia do colesteatoma: Opção correcta nos dias de hoje?

João Pimentel, Antonio Galzerano, Martinha Chorão, Jorge Domingues & Madeira Da Silva
Introdução: Desde a primeira ossiculoplastia autóloga, em 1957 com Hall e Rytzner, que os remanescentes ossiculares se tornaram uma opção nas timpanoplastias com reconstrução da cadeia ossicular pela sua biocompatibilidade, disponibilidade e baixo custo. No entanto, o seu uso em doentes com otite media crónica colesteatomatosa decaiu pelo receio dos ossiculos conterem no seu interior colesteatoma residual. Os autores investigam se ossiculos removidos em cirurgia de colesteatoma apresentam alterações histopatológicas que possam levar à recidiva...
This data repository is not currently reporting usage information. For information on how your repository can submit usage information, please see our documentation.